Expressões Faciais Universais

Pesquisas realizadas em várias partes da Terra e por vários anos confirmaram a existência de 7 emoções básicas que possuem expressões faciais universais. São elas: alegria, tristeza, raiva, aversão, surpresa, medo e desprezo.

Independente da sociedade e cultura em que se vive, ao experienciar uma dessas 7 emoções, os indivíduos vão mover os mesmos músculos faciais. Existem reguladoras culturais, como as regras de exibição, mas este será assunto para outra publicação.

Por que estudar a Expressão Facial da Emoção

Estudar a expressão facial da emoção é estudar o que move as pessoas, o que determina a qualidade de vida delas e como elas se comportam, mas também é uma oportunidade para se tornar mais consciente dos momentos que vivencia e aprender a regular/controlar as próprias emoções.

Para os entusiastas do estudo sobre a linguagem corporal e da comunicação não-verbal, é importante dizer que a análise da expressão facial possui uma ferramenta científica de mensuração chamada Facial Action Coding System (FACS), que foi publicada por Paul Ekman e Wallace Friesen em 1978 e revisada por Ekman, Friesen e Joseph Hager em 2002. Essa ferramenta permite medir as ações faciais e pontuar suas Unidades de Ação (AUs), intensidade, assimetria ou unilateralidade, duração, entre outros códigos e, combinada com o EMFACS, sigla para Emotion FACS, permite compreender certas pontuações realizadas sobre expressões faciais em uma das 7 emoções básicas.

As 7 Emoções Básicas Universais

A imagem abaixo pertence à base de dados “As Faces das Emoções Básicas”, produzida pelo CICEM em 2017, e mostra uma baseline (face neutra/relaxada) ao lado das 7 emoções básicas universais feitas voluntariamente em laboratório por modelo humano. Você consegue reconhecer cada uma delas? Deixe sua resposta nos comentários.

7 Emoções Básicas - Comportamento das Emoções CICEM

As Pesquisas e o Histórico Básico da EFE

Sobre a universalidade da expressão facial das emoções, vale dizer que a discussão sobre este tema foi iniciada, de forma científica, por Charles Darwin que, em 1872, publicou o livro The expression of the emotions in man and animals, onde propôs que haveria uma estrutura no cérebro e no código genético responsável pela expressão comportamental universal das emoções nos homens e em outros animais. Em resumo, Darwin afirmou que a expressão facial de algumas emoções humanas são inatas, universais e partilhadas por todos os membros das mesma espécies, ou seja, sem ser o resultado de aprendizagem ou sujeita às variações culturais/sociais.

No séc. XX a antropóloga Margaret Mead afirmou, sobre este tema, o contrário de Darwin e escreveu que todos os comportamentos humanos seriam um produto peculiar resultado das diferentes culturas, o que implicou diretamente sobre os comportamentos faciais.

Sendo assim, a necessidade de verificar qual dos dois teóricos estava certo emergiu e foi à campo o psicólogo Paul Ekman, que realizou pesquisas nos Estados Unidos da América, Japão, Brasil e em outros países, até encontrar a tribo Fore, da Papua Nova Guiné, que era uma tribo virgem, isto é, que nunca havia tido contato com outra civilização. Nesta cultura e com os estudos antecedentes de Ekman, juntamente com a pesquisa de outros que realizavam investigações semelhantes em paralelo, como Carroll Izard, pode-se constatar a veracidade da teoria universal de Darwin e também mapear as 6 emoções básicas universais em seres humanos, onde mais tarde a emoção básica desprezo seria incorporada e passaria-se a falar de 7 emoções básicas inatas e universais.

Para Saber MaisO Guia do Emocionauta - Caio Ferreira livro

Chegou o novo livro de Caio FerreiraEscritos Sobre a Mensuração Científica da Face Humana: Vol. 1 – O Guia do Emocionauta! – repleto de figuras, tabelas, referências e todo apoiado em estudos científicos sobre o comportamento emocional – com linguagem simples, sem enrolação, e esclarecendo a comunicação não-verbal, a linguagem corporal, o cérebro emocional, a expressão facial da emoção e o Facial Action Coding System (FACS).

É o que você precisa para começar a decifrar as pessoas e desvendar seus segredos.

Compre aqui -Promoção de lançamento da versão digital, compre agora pelo link: https://www.amazon.com.br/dp/B07DLF67LV

Referências Consultadas

Darwin, C. (2009). A expressão das emoções no homem e nos animais. (Leon de Souza Lobo Garcia, Trad.). São Paulo: Companhia das Letras. (Obra original publicada em 1872).

Ekman, P. (2003). Emotions revealed: recognizing faces and feelings to improve communication and emotional life. New York, NY: Times Books.

Ferreira, C. (2017/2018). As Faces das Emoções Básicas (FEB). São Paulo: CICEM.

Ferreira, C. (2018). Conceitos básicos sobre expressão facial da emoção. São Paulo: CICEM Ed. (Livro digital dDisponível em: https://goo.gl/GmvrK3)

Ferreira, C. (2018). Estudos sobre a mensuração científica da face humana: vol. 1 – o guia do emocionauta. São Paulo: CICEM Ed.

Quer saber mais??

Inscreva-se já para os próximos Cursos do CICEM

Curso Lie to Me Linguagem Corporal Micro expressões

(Foto de curso realizado em São Paulo, em 2017)

Para saber mais

Por um mundo mais emocional!

  comunicação não-verbal linguagem corporal  

 


1 Comment

Viviane Ap.Celestino · 4 de setembro de 2017 às 08:35

Esse mini curso poderia ter um desconto para estudante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comunicação Não-Verbal

Base de Dados Pioneira do CICEM é Apresentada na UFSCar

Entre 15/07 e 20/07 aconteceu a IV Escola de Inverno sobre Cultura, Linguagem e Comportamento Simbólico (CLiCS) no campus de São Carlos da UFSCar. No último dia, sábado (20), pudemos apresentar à comunidade e aos Leia mais…

Cérebro

Humor vs Emoção: Diferenças e Traços

Cinco fatores que descrevem a diferença entre humor e emoção Em um trecho extraído de “The Nature Of Emotion”, o Dr. Ekman apresenta cinco fatores para determinar o humor versus emoção. Variações na duração, provocação, Leia mais…

#CICEMTraduzPraVoce

Microexpressões diferenciam as verdades das mentiras sobre as futuras intenções maliciosas

Finalmente! A primeira evidência científica de que micro expressões são a chave para a detecção de dissimulação! Embora vem acontecendo um consenso geral de que as micro expressões desempenham um papel significativo na detecção de Leia mais…

error: Content is protected !!