Possibilidades da Psicologia Positiva Para o Enfrentamento da Pandemia


No texto de hoje buscarei abordar alguns elementos da Psicologia Positiva (PP) aplicada à saúde mental e qualidade de vida durante a pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Essa situação pandêmica é sem precedentes para a nossa geração e tem implicado em abruptas mudanças de hábitos, afetos e comportamentos. Isto é, de uma hora para a outra, sem aviso, sem tempo de adaptação e sem claras instruções fomos mobilizados a modificar desde a forma como cumprimentamos e interagimos com as pessoas até a forma como trabalhamos e utilizamos serviços básicos. O alerta constante tem aflorado psicopatologias e os serviços de psicologia voluntária tem emergido buscando responder a essa demanda – que tem englobado desde questões mais pontuais, desabafos/acolhimentos e orientações, até questões mais profundas e demandas existenciais que implicam em psicoterapia e vem encontrando oportunidades para serem trabalhadas durante a pandemia. Seja para pacientes, profissionais ou para a comunidade em geral, a psicologia positiva busca oferecer possibilidades de entrar em contato com as emoções positivas, de conhecer e desenvolver os aspectos que contribuem para o bem-estar, de melhorar e aprimorar qualidades saudáveis do eu e, além de acessar ou fortalecer o que já é bom, a PP também dialoga com a noção de prevenção em saúde mental e possibilita uma psicologia clínica/intervencionista preventiva tão consolidada quanto a já tradicional reparadora de danos.

Ponto de partida

Buscando oferecer possibilidades práticas e acessíveis que podem contribuir a curto e a longo prazo com a saúde, mental e geral, das pessoas durante a pandemia e frente as mediadas de isolamento social, utilizarei o apoio do PERMA, que é um modelo de compreensão do bem-estar humano, desenvolvido por Martin Seligman, PhD.

Em resumo, PERMA é um acróstico onde cada uma das letras que o compõe faze referência a um dos elementos que contribuem para o bem-estar subjetivo das pessoas.

P – Positive Emotions = Emoções Positivas

E – Engagement = Engajamento

R – Relationship = Relacionamentos

M – Meaning = Significado / Sentido

A – Accomplishments = Conquistas/Realizações

Essa compreensão é apoiada nas pesquisas empíricas da psicologia positiva e foi desenvolvido no livro Florescer (2012), de Martin Seligman. Caso o leitor não conheça nada sobre psicologia positiva ou sobre a teoria PERMA, recomenda-se que leia os textos a seguir:

Durante as últimas semanas, realizei algumas lives produzi alguns conteúdos voltados à pandemia, que podem ser acessados na página temática da Sociedade dos Psicólogos sobre o novo coronavírus. Acesse aqui: especial psicologia coronavírus.

P -Positive Emotions (Emoções Positivas)

A primeira letra aponta para as emoções positivas. Primeiramente, penso que as emoções positivas terão duas funções importantes frente a pandemia:

  • A primeira, a implicância delas frente à criatividade, exploração, descobrimento, construção de recursos, contribuição para novas ideias e para manutenção de relacionamentos afetivos positivos. De acordo com Fredrickson (2013), as emoções positivas ampliam nosso leque de recursos cognitivos e comportamentais, auxiliam na construção de novas sinapses, elevam o bem-estar subjetivo, nos levam ao compartilhamento e ao cuidado com o outro.
  • A segunda questão tem relação com o acesso às emoções prazerosas durante os momentos mais difíceis que tivermos de enfrentar, o que deve envolver eventuais lutos. Quando digo luto, não me refiro apenas a morte física do corpo, mas a todas as mortes que a pandemia nos trás: a morte da rotina, do trabalho, das relações, da liberdade…

Primeiramente, para cultivar emoções positivas, podemos evitar as emoções negativas desnecessárias. Digo isso pois, durante a pandemia, estamos sendo bombardeados constantemente com novas informações, números e estatísticas sobre a doença que, muitas vezes, acabam nos informando apenas sobre fatores e fenômenos negativos atrelados a situação, o que eleva nosso estresse e contribui para aumentar nossa ansiedade.

Falar de emoção positiva é falar de diversão, alívio, orgulho, gratidão, esperança, contemplação, entre tantas outras palavras que nos fazem referências a estados relacionados ao prazer e bem estar. Muitas vezes é necessário abordar o vocabulário e informar sobre quais são as emoções positivas e suas características. Dessa forma, o CICEM preparou dois textos com a visão de dois pesquisadores das emoções humanas:

Uma vez que agora você conhece quais são as emoções positivas, cabe a você encontrar a melhor maneira de acessá-las. Não existe uma receita que funcione para todos, mas existem algumas estruturas universais que nos permitem acessar essas emoções quando queremos. Por exemplo, o alívio acessamos quando removemos algo que nos incomoda ou trás desconforto; o orgulho é sentido frente alguma boa realização nossa ou de alguém que estimamos; a esperança é uma emoção positiva que podemos sentir quando o ambiente e os eventos que nos cercam não são positivos, a gratidão é aquilo que sentimos quando contamos as coisas boas que aconteceram em nosso dia ou quando percebemos que alguém nos ajudou sem querer obter nada em troca…

Um dos clássicos exercícios de psicologia positiva consistem em listar, uma vez ao dia, pelo menos “3 bençãos” que aconteceram no seu dia. De acordo com Emmons & Mishra (2012), a o sentimento de gratidão nos ajuda a extrair o benefício máximo de uma experiência positiva; reforça nossa autovalorização e autoestima; ajuda a enfrentar o estresse e a adversidade; nos torna mais atentos para atos de gentileza; pode fortalecer nossas relações; diminui a probabilidade de nos compararmos com os outros e diminui a probabilidade de passarmos tempo remoendo emoções negativas;

E- Engagement (Engajamento)

O engajamento ou envolvimento tem relação direta com o emprego das nossas forças de caráter e com as boas emoções que sentimos quando estamos absorvidos por uma atividade prazerosa.

As forças de caráter são compreendidas em 24 elementos que se relacionam às chamadas 6 virtudes. Essas foram estudadas de forma transcultural, sendo que sua análise, descrição e possibilidades de desenvolvimento são apresentadas em Peterson & Seligman (2004).

  • Sabedoria e Conhecimento: criatividade, curiosidade, critério, amor à aprendizagem, perspectiva
  • Coragem: bravura, persistência, integridade, vitalidade
  • Humanidade: amor, gentileza, inteligência social
  • Justiça: cidadania, imparcialidade, liderança
  • Temperança: perdão e compaixão, humildade, prudência, autorregulação
  • Transcendência: valorização da beleza e excelência, gratidão, esperança, humor, espiritualidade

(com base em Peterson & Seligman [2004]. Character strengths and virtues: A handbook and classification – sem tradução oficial para língua portuguesa)

Caso você queria mapear, de forma hierárquica, suas força, recomendamos a ferramenta online VIA Adult Survey, que pode ser acessada aqui: https://www.viacharacter.org/

(Site do VIA Institute On Character)

Falar de engajamento é também falar sobre o estado de flow, ou estado de fluxo. Mihaly Csikszentmihalyi (1934 – ) é o “pai do flow”, segundo ele, flow é um estado mental/performático onde as pessoas estão conectadas/envolvidas em uma atividade em que nada mais parece importar. A experiência é prazerosa pode ser alcançada por qualquer pessoa.
É comum que pessoas que trabalham com criação (desenhistas, escritores, compositores, publicitários…) já tenham experienciado o estado de flow, mas não sabiam que isso era objeto de estudo da Psicologia Positiva. Em atletas de alto rendimento e em qualquer produção produção pessoal, a melhor performance é sempre durante o estado de flow.

Há pessoas que entram em flow enquanto fazem exercícios físicos, praticam esportes; outras enquanto cantam, dançam ou tocam um instrumento musical; outras enquanto escrevem, preparam aulas/slides, estudam… Para ajudar a compreender o flow, traduzimos o seguinte diagrama, que se encontra, originalmente, na publicação Finding Flow: The Psychology of Engagement with Everyday Life, (1997), de M. Csikszentmihalyi.

estado de flow fluxo psicologia positiva

A imagem apresenta um gráfico de dois eixos (desafios x habilidades), que facilita no entendimento das experiências pessoais envolvendo produções e desempenhos. Por exemplo, alguém com alta habilidade frente a um desafio baixo, tende a se sentir relaxado; alguém com baixa habilidade frente a um desafio médio, tende a se sentir preocupado; alguém com alta habilidade frente a um desafio médio, tende a se sentir no controle; e assim por diante.

R – Relationship = Relacionamentos

Disponível em breve…

M – Meaning = Significado / Sentido

Disponível em breve…

A – Accomplishments = Conquistas/Realizações

Disponível em breve…

Referências e Recomendações

Emmons, R. A., & Mishra, A. (2012). Why gratitude enhances well-being: What we know, what we need to know. In Sheldon, K., Kashdan, T., & Steger, M.F. (Eds.) Designing the future of positive psychology: Taking stock and moving forward. New York: Oxford University Press.

Fredrickson, B. L. (2013). Positive emotions broaden and build. Advances in Experimental Social Psychology, 47, 1-53.

Seligman, M. E. P. (2012). Florescer: uma nova compreensão sobre a natureza da felicidade e do bem-estar. Rio de Janeiro: Objetiva.

Peterson, C., & Seligman, M. E. P. (2004). Character strengths and virtues: A handbook and classification. New York: Oxford University Press and Washington, DC: American Psychological Association.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *