Finalmente! A primeira evidência científica de que micro expressões são a chave para a detecção de dissimulação!

Embora vem acontecendo um consenso geral de que as micro expressões desempenham um papel significativo na detecção de fraudes durante décadas, na realidade nunca houve um estudo publicado em uma revista científica, com revisão por pares, que documentasse essa afirmação. Até agora.

Evidências novas e empolgantes vêm dos Drs. da Humintell. David Matsumoto e Hyisung Hwang em um artigo recentemente publicado na Frontiers in Psychology. Em seu estudo, eles buscaram determinar se as micro expressões poderiam indicar, de forma confiável, o engano em um experimento de crime simulado. Em última análise, eles descobriram que as micro expressões serviram como um guia útil na detecção de fraudes e também na avaliação de futuras faltas de conduta.

Na verdade, estudos anteriores tentaram documentar o efeito das micro expressões como indicadores de dissimulação. Mas pesquisas anteriores não avaliaram micro expressões de forma eficaz. Um experimento foi realizado com um crime simulado. Aqui, os participantes foram orientados a mentir ou dizer a verdade durante uma entrevista simulada. Tanto a entrevista pré-teste quanto a experiência real foram modeladas o mais próximo possível dos procedimentos de aplicação da lei no mundo real.

Como as pesquisas anteriores descobriram que as micro expressões são universais em termos culturais, os participantes incluíram tanto europeus-americanos, nascidos nos EUA, quanto imigrantes chineses. Ao longo das entrevistas, cada participante foi filmado e suas expressões analisadas de perto.

Depois de realizar estas entrevistas simuladas, os comportamentos faciais foram codificados manualmente por especialistas para determinar se micro expressões estavam presentes. As emoções foram então agrupadas como negativas, como medo e raiva, ou positivas, como a alegria.

Descobriu-se que os mentirosos e verdadeiros tinham manifestações de expressões diferentes, com os mentirosos apresentando micro expressões marcadamente mais negativas. Isso não só ajuda a mostrar que as micro expressões negativas podem ser usadas para determinar o engano, mas a duração média dessas micro expressões foi relativamente constante entre 0,4 e 0,5 segundo.

Este estudo, então, não apenas forneceu a primeira evidência científica de que as micro expressões podem ajudar a detectar o engano, mas também ajudou a fomentar pesquisas adicionais na análise crítica do que constitui uma micro expressão.

E agora pode ser um bom momento para você participar e aprender a detectar o próprio engano!

FAÇA O DOWNLOAD DO ARTIGO COMPLETO AQUI

 

#CICEMTraduzPraVoce

Texto original publicado aqui, por Humintell.

Para saber mais

Por um mundo mais emocional!

comunicação não-verbal linguagem corporal


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comunicação Não-Verbal

Base de Dados Pioneira do CICEM é Apresentada na UFSCar

Entre 15/07 e 20/07 aconteceu a IV Escola de Inverno sobre Cultura, Linguagem e Comportamento Simbólico (CLiCS) no campus de São Carlos da UFSCar. No último dia, sábado (20), pudemos apresentar à comunidade e aos Leia mais…

Cérebro

Humor vs Emoção: Diferenças e Traços

Cinco fatores que descrevem a diferença entre humor e emoção Em um trecho extraído de “The Nature Of Emotion”, o Dr. Ekman apresenta cinco fatores para determinar o humor versus emoção. Variações na duração, provocação, Leia mais…

Expressão Facial da Emoção

O FACS e as Faces da Depressão: é possível codificar o suicídio?

Setembro Amarelo passou, mas nunca é demais abordar a questão do suicídio e suas implicações. Particularmente, fui motivado a escrever esse texto pois, nessa semana, vi uma foto compartilhada de uma pessoa desesperada para com Leia mais…

error: Content is protected !!